domingo, 29 de junho de 2014

Por que a Copa me perturba - Parte II

Episódio 2:

Estou em outro bar que frequento, com amigas dançando e bebendo.
Eis que se aproximam turistas argentinos e dançam ao redor de nós.

Obs: Sem xenofobia - pra mim não importa se são argentinos, coreanos, holandeses, brasileiros ou marcianos.

Sempre procuro ser simpática com quem me respeita. Mas acontece que as investidas deles eram sempre segurar em nossos braços, tocar nossos cabelos, tocar e mexer com a gente.
Não aceito que me toque sem a minha autorização. Já escrevi isso aqui e não tenho problema algum em dizer isso para as pessoas, quantas vezes for necessário!
Quem quiser se divertir que aproveite, o mas o meu corpo não é público eu não estou disponível.

Se eu quiser dançar, conversar, beber, ficar, beijar, transar, casar e ter filhos - ou dar um mortal pra trás - a pessoa interessada vai saber disso, mas não invada o meu espaço.


Resumo da história:
Ando pouco tolerante e sem paciência.
Pouco tolerante para o senso comum.
Completamente intolerante para o machismo.

E sim, a Copa me perturba.

Por MARIA, L.P.

Nenhum comentário:

Postar um comentário