terça-feira, 12 de novembro de 2013

Em defesa dos moradores da Vila Esmeralda III

Novo Hamburgo – Canudos – 11 de novembro de 2013.


Tivemos segundo encontro entre a comissão de Defesa dos moradores da Vila Esmeralda e o secretário especial do Prefeito Luis Lauermann, Egon Kirshner. Conforme combinamos no encontro anterior, a prefeitura levou dois técnicos, um engenheiro e uma arquiteta, que ficaram de apresentar seus projetos de melhorias para a vila e para o bairro, onde seriam prevenidas as cheias.

De fato, o projeto financiado pelo BID já está em estudo há quatro anos, iniciado no governo Tarcísio Zimemermann (do PT, Lauermann só o sucedeu  por estar impedido de concorrer novamente). O projeto apresentado já recebeu pesados investimentos, propõe obras na Avenida Alcântra, até a Avenida dos Municípios, com a elevada do Arroio Pampa, a intalação de comportas e de uma casa de bombas. Como deixamos claro, o projeto milionário é ótimo, mas está no papel há quatro anos. Segundo a administração o contrato deve ser assinado em quatro meses, e as obras iniciadas no segundo semestre de 2014, se não houver nenhum imprevisto.

Acontece, que sabemos que há quatro anos segue a morosidade do projeto. Não temos garantia nenhuma que esses prazos serão cumpridos, pois segundo o próprio secretário, essas obras iniciam nesse prazo, se “der tudo certo”. Se der tudo certo, secretário, não chove mais e o Papai Noel chega nesse dezembro. 
Depois de toda a chuva que assolou o RS entre domingo e segunda feira, boa parte das Vilas Kipling e Getúlio Vargas (vizinhas da Esmeralda) pela manhã já estavam alagadas: não apenas pelo nível do Arroio Pampa, mas sobretudo por conta do esgoto a céu aberto, que pelo descaso da administração pública municipal já tornou isso normal.

Eu cobrei ações emergenciais da administração, que nos respondeu que não têm varinha mágica. Assim como a Defesa Civil municipal, quando ligamos para saber a situação do Rio dos Sinos, no informaram basicamente que Novo Hamburgo estava um “caos”, com ruas alagadas e estava tudo “uma merda”. Desde agosto já percebemos que a Defesa Civil está despreparada e desorientada para lidar com a população temerosa por suas casas e suas vidas, e a prefeitura, novamente, nada fez.

Sabemos que o problema das chuvas vêm atingido várias cidades da região, pelo mesmo motivo: despreparo e obras mal feitas e inconclusas.

Não há previsões reais para essas obras acontecerem,  e precisamos torcer para não chover: pois agora que o FGTS já foi retirado, as pessoas atingidas pelas cheias vão estar completamente desassistidas, visto que o benefício só pode ser retirado uma única vez.

Pessoalmente, perdi a razão quando o engenheiro disse que também teve sua casa interditada no ano passado, e estava morando de aluguel no bairro Jardim Mauá: pra começar, um engenheiro da prefeitura ganha suficientemente para pagar moradia em qualquer bairro da cidade, mesmo no Jardim Mauá, bairro nobre. Não aceito que um profissional se compare ao meu pai ou aos meus vizinhos, que levantam todas as madrugadas para trabalhar, fazem força há mais de trinta anos para manter suas casas e suas famílias, como se as oportunidades para essas pessoas fossem iguais. Também não aceito que uma arquiteta que mora em Hamburgo Velho (bairro top top) se compare à minha comunidade que perdeu tudo em agosto passado, porque molhou o sapato. Podem  dizer que sou intolerante. E sou: altamente intolerante a quem tenta fazer pessoas simples de idiotas. E foi o que tentaram fazer: apresentaram um projeto, nos receberam para que nos calássemos... que nos calássemos depois das manifestações que fizemos, trancamos trânsito e fomos vistos. E isso é ruim. Pra eles.

Pra mim, o pior foi quando o secretário disse para que não fizéssemos como a ocupação da Marisol (outra vila do bairro), que contratou  um advogado para colocar a prefeitura na justiça. O secretário queria se assegurar que nós não entrássemos cm ação judicial contra eles! Ou seja, além de quietos, não devemos exigir nossos direitos na justiça formal? Confere?

Somos moradores, trabalhadores que tem suas casas devidamente escrituradas, em uma região que não é – nem nunca foi – de risco. Precisamos temer nosso governo? Até onde sei, quem deve temer o seu povo é o governo!

Charge @jornalSul21 – As chuvas em Porto Alegre


Não vamos deixar de lutar. O recado é esse!


Por MARIA,L.P.
  

Para entender melhor, leia Em defesa dos moradores da Vila Esmeralda II

Minha indignação à ação da mídia burguesa

Nenhum comentário:

Postar um comentário