quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Dia Nacional da Consciência Negra, dia de Zumbi: Obrigado, minha terra!


Nesse dia, ofereço aos leitores, mas dedico aos ancestrais o poema "Obrigado, minha terra" de Oliveira Silveira: poeta gaúcho idealizador do 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra, dia de Zumbi dos Palmares! Dia de lembrar como essa terra foi dura com nosso povo. Dia de recordar os lutadores negros que morreram por liberdade. Dia de questionar porque o Rio Grande do Sul e o Brasil continuam a se afirmar como "não racistas". Dia de refletir porque nossos jovens continuam a morrer mais, vítimas de um genocídio programado. Dia de entender porque as nossas mulheres e mães continuam sendo exploradas como domésticas no mais cruel resquício da escravidão negra. Dia de se indignar porque o nosso povo continua sem chegar a universidade e a não ter atenção nos serviços básicos do governo. Dia de ver onde está a população pobre e miserável desse país, que tem cor e gênero. Dia de chorar pela maioria das mulheres que morrem vítimas da violência doméstica, negras. Dia questionar o motivo da população negra engrossar as piores estatísticas sociais. Dia de luta. Dia de festa. Dia de Lanceiros Negros. Dia de Zumbi.


OBRIGADO, MINHA TERRA
 (Pêlo escuro, 1977)

Obrigado rios de São Pedro
pelo peso da água em meu remo.
Feitorias do linho-cânhamo
obrigado pelos lanhos.


Obrigado loiro trigo
pelo contraste comigo.
Obrigado lavoura
pelas vergas no meu couro.


Obrigado charqueadas
por minhas feridas salgadas.
Te agradeço Rio Grande
o doce e o amargo
pelos quais te fiz meu pago
e as fronteiras fraternas
por onde busquei outras terras.


Agradeço teu peso em meus ombros
músculos braços e lombo.
Por ser linha de frente no perigo
lanceando teus inimigos.


Muito obrigado pelo ditado
“negro em posição é encrenca no galpão”.
Obrigado pelo preconceito
com que até hoje me aceitas.


Muito obrigado pela cor do emprego
que não me dás porque sou negro.
E pelo torto direito
de te nomear pelos defeitos.


Tens o lado bom também
- terra natal sempre tem.
Agradeço de todo o coração
e sem nenhum perdão.


Nenhum comentário:

Postar um comentário