segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Minha indignação à ação da mídia burguesa



Hoje, gostaria de compartilhar minha indignação à ação da mídia burguesa, tentando manipular a ação popular organizada pelos moradores da Vila Esmeralda/ Bairro Canudos/Novo Hamburgo.
Você até pode sair da vila, mas a vila jamais sai de você!
Antes da resposta, leia a reportagem 





A/C Micheli Aguiar - sobre o I Ato em defesa dos Moradores da Vila Esmeralda

Prezada Michele,

Escrevo este email para manifestar minha profunda decepção com a reportagem sobre a mobilização dos moradores da Vila Esmeralda, ocorrido no dia 19 de outubro. Foi importante a reportagem ter saído no suplemento do bairro, mas creio que deixamos claro que a mobilização tem fins específicos, que precisam ser amplamente divulgados em toda a cidade.

Primeiramente, é necessário deixar público que a manifestação não foi para cobrar a liberação do FGTS dos moradores, mas para pressionar que o poder público tome atitudes para que não mais ocorram enchentes, sobretudo na proporção que vimos em agosto passado.

Fomos às ruas porque a população está cansada de ser feita de idiota pelos governos do PT, em nível municipal e estadual. Fomos às ruas porque somos vítimas da Avenida dos Municípios, “obra pra inglês ver”, que há anos está parada, onde ao invés de proporcionar mobilidade para os moradores do bairro, represa água alagando as vilas ao redor. Fomos às ruas para exigir que as obras sejam conduzidas com segurança, pensando que a sua infraestrutura é determinante para o futuro do Bairro Canudos. Fomos às ruas porque a prefeitura vem enrolando a população, em relação a resolução do problema das cheias. 

Fomos às ruas, pois existe uma Associação dos Moradores da Vila Esmeralda, que não se manifestou e não se colocou a disposição dos moradores, pois a sua direção têm relação política com o vice prefeito e por isso ainda fez campanha contra a mobilização popular, tentando fazer as pessoas acreditarem que a organização popular e a luta de nada servem. Fomos às ruas porque os municípios de São Leopoldo, Campo Bom e Sapiranga já haviam tido o benefício da liberação do FGTS e Novo Hamburgo ainda não havia liberado.

A reportagem veiculada deu a entender que o FGTS fosse a única revindicação. Revindicamos mudanças, pois morar é direito, não privilégio. Os moradores querem reconstruir suas vidas com o dinheiro que lhes é de direito, mas se não forem tomadas providências urgentes, da próxima enchente nem desse benefício a população poderá gozar. Se o ato fosse apensa por esse motivo, não teria motivo para ter mais uma edição, no sábado próximo, dia 02 de novembro.

Como membro da comissão em Defesa dos moradores da Vila Esmerada, quero manifestar publicamente minha decepção com a reportagem veiculada. Mostrou claramente a quem a imprensa hamburguense está a serviço, e não é da população. Imprensa burguesa não me representa.

Grata pela atenção,



Por MARIA,L.P.

Nenhum comentário:

Postar um comentário