terça-feira, 1 de outubro de 2013

Mais um brinde ao casamento

Escrevi esse post enquanto aguardava o inicio do casamento da minha amiga Alba.
Algumas breves considerações...

Alba e uma querida amiga, que conheci na universidade. Durante um bom tempo, fomos as únicas mulheres negras no curso de historia. Nos conhecemos nos corredores, mas nunca tivemos aula juntas, até porque ela se formou dois anos antes que eu. Ficamos próximas quando fui trabalhar na escola de educação infantil onde ela já dava aula. Ai descobrimos que tínhamos muito em comum.
Passamos por algumas em Campo Bom, cidade mais racista e conservadora que conheci...
Mas também apesar das complicações de trabalhar lá, além de um bom trabalho, nos divertíamos trabalhando com o que a gente gosta.
Fizemos também grandes festas... Muito samba, e um copo na mão. Até eu ouvir da mãe dela a pérola maior: nêga que não samba, não arruma marido!
[nota mental: aprendi a sambar, mas marido não entrou no plano]

Entre tantos belos momentos, entre eles a formatura, me inspirei e me espelhei muito nessa mulher, independente, decidida, valente e lutadora, que hoje casa.
[nota importante: Alba e a minha segunda amiga historiadora que casa, as duas casaram com também historiadores]

Muito embora eu não seja fã da instituição matrimonial, por acreditar que ela tem como função controlar a mulher, na categoria de esposa/mãe, a fim que ela reproduza as relações de dominação patriarcal e capitalista. No entanto, quando o casal, mas, sobretudo a mulher tem consciência disso, e ainda assim escolhem viver juntos, com o cerimonial cristão, mas com distintas perspectivas de der a relação e a vida a dois,não é ilusão, é loucamente corajoso!





Alba e Luiz, sejam felizes!


Por MARIA,L.P.

Nenhum comentário:

Postar um comentário