segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Ai entra o papinho do relógio biológico, de mulher completa e blá, blá, blá...


Sugiro a leitura desse texto, no Blogueiras feministas: Meu relógio biológico está quebrado! Trata sobre querer ou não ter filhos, comentários – senso comum – sobre maternidade, idade e relógio biológico.


Tive algumas conversas sobre isso recentemente. Homens e mulheres são severamente criticados por alguns setores por não quererem ter filhos (homens: estamos falando de homens que não estão interessados em serem pais, não em canalhas que abandonam suas companheiras grávidas – são coisas diferentes).

Alguém me comentou sobre crises que teve em relacionamentos passados, por não querer ter filhos. E isso não me surpreendeu. O que me chamou a atenção foi o fato de ele mesmo não estar convencido, devido à pressão que sofria, pensava que poderia mudar de ideia ao longo do tempo. Ele mesmo disse que pensava isso, para não admitir que não queria ser pai, frente a companheira.

Pode ser que algumas pessoas ao ficarem mais velhas acabam mudando sua visão sobre a vida, repensando a possibilidade de ter filhos. Mas isso não é regra.

Ai entra o papinho do relógio biológico, de mulher completa e blá, blá, blá.

Não aceito que condenem alguém por não querer ter filhos. Ninguém é bom/mau por querer ou não ter filhos.
Creio que consciente é não querer ter filhos e deixar isso claro, ao invés do que faz a maioria – os têm e se arrepende (comentário que fiz sobre homens que abandonam suas companheiras, ou de mulheres que tratam mal seus filhos por que uma relação terminou). Acontece que se tratando de filhos, não há meio termo, não se pode ser morno: têm-se ou não.

O fato é que ser mãe dever ser uma escolha da mulher. Não do homem ou da família. E quando ela escolhe não ser, não deve se pressionar para que ela mude de idéia. Não é anti-natural não ser mãe.

Me entristece ainda ser um tabu uma mulher não querer ser mãe. Me assusta que ainda existem mulheres que planejam suas vidas em relação ao casamento e aos filhos, ao mudar os planos de toda uma vida para ser mãe.
Como já disse, as pessoas mudam. Mas quando queremos partilhar nossas vidas com alguém, é importante somar os planos, mas (jamais) dividi-los.
Mas ainda  hoje os planos divididos e deixados de lado, são sempre os das mulheres.

Por MARIA,L.P. 

4 comentários:

  1. Oi Maria, compartilho (e muito) da sua opinião. Ainda tenho muitos planos em mente e ser mãe sempre foi algo que passou longe de mim. Não condeno quem espera ansiosamente por se tornar mãe, assim como também não julgo quem decide que não quer. Aliás, até admiro. Coisa mais fácil que é botar um filho no mundo, não é? Quero ver educar, dar apoio, enfim... ter um filho implica muitas questões. Infelizmente, embora haja alguns avanços nos estudos feministas sobre a temática, na mente da sociedade o tabu ainda é forte. Questões de raízes, de cultura mesmo. E também de preconceito. Que, convenhamos, é algo absurdamente difícil de ser quebrado...

    Você já leu Elisabeth Badinter? Em "O mito do amor materno" ela destroça toda essa ideia de que ser mãe é um instinto, é algo natural, de que o relógio biológico bate e tudo o mais. Ela fala em uma "fabulosa pressão pra que a mulher só possa se realizar na maternidade"... tem no google da vida pra baixar, se te interessar.

    Beijos, e que seu tenha dia tenha sido lindo! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paty,
      Jamais condenaria o fato de alguém escolher ser mãe.
      Discuto inclusive o aborto, porque acho que ninguém deve ser obrigada a ser mãe, mesmo que por acidente.
      É preciso poder escolher: seja qual for a opção.
      Não li ainda, mas vou topar a sugestão... quem sabe escrevo algo sobre! Obrigada pela dica, sempre muito bem vinda!

      Um ótimo dia pra vc tb! Beijo!

      Excluir
  2. O relogio biologico esta entre 35 e 40 anos, fiquem tranquila, quando adquirirem essa idade sua produção de ovulos caira em 50%, INSTITIVAMENTE, voce ira querer sonhar com um homem perfeito, e ter uma procriação de DNA, ter filho. nao precisa querer discutir nem nada, simplesmente acontece , mais cedo ou mais tarde. conheço mulheres que tinah essa opinião, bastou chegar aos 38 e ja era.. mas é normal, isso se chama ''ser humano''

    ResponderExcluir
  3. Especialistas anônimos.
    Grande respaldo. (sic)

    ResponderExcluir