sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Viajei pra uma cidade chamada Solitária


Nesse feriado foi a minha primeira vez.
Primeira, de muitas outras que virão.
Foi a primeira vez que viajei sozinha.

Pra quem lê isso, pode se pensar ‘grande coisa’.  Mas reconheço que foi uma experiência muito especial.
Já viajei outras vezes, sem a família, com amigos. Com colegas, pela/com desculpa da universidade.
Já viajei sozinha, pro litoral, pro interior, mas encontrei com alguém que me esperava. Viajei inclusive para outro estado, mas também havia alguém me esperando.

É diferente.
Dessa vez, embarquei para um congresso em uma universidade no litoral do estado. O que há de melhor no litoral gaúcho, diga-se de passagem.
Trajeto solitário. Sozinha no hotel. Caminhando até a universidade, passeando pelo centro da cidade, aproveitando a praia: solitária.
Pedi uma pizza, algumas cervejas, dormi: sozinha.

Às vezes estamos rodeados de pessoas, e não nos damos conta que a melhor companhia que podemos ter é estar de bem consigo.

Conversava há alguns dias com um amigo, sobre viajar sozinho.
Com o tempo nos tornamos tão dependentes da companhia de outras pessoas que não gozamos da nossa própria companhia.
Sinto uma insana necessidade de estar sozinha de vez em quando. E algumas pessoas (meus pais, por exemplo) não conseguem entender. Não é por mal, mas por que nunca ficaram sozinhos mesmo.

O ‘estar só’ que me refiro, não é no sentido nostálgico de solidão. Mas parar para olhar pra si, pensar, meditar, viajar...

Lembro de uma aula, em que falávamos sobre memória.
Não lembro o autor, mas lembro que alguém afirma que as lembranças se tornam memória, quando vividas com alguém, ou seja, memória é aquilo que se vive com outras pessoas.
Mas não seria possível ter minhas próprias memórias, de lugares, momentos e sentimentos vividos e sentidos somente por mim?

Quando estava andando pela praia pensei em muitas coisas. Pensei em muita gente. Pessoas que aquela paisagem me lembra, pessoas com quem já estive lá, pessoas com quem estive em algum lugar parecido, pessoas com quem gostaria de estar.


Mas eu só queria que entendessem.
Eu só quero ficar sozinha. Nada mais.

Por MARIA, L.P.

Nenhum comentário:

Postar um comentário