terça-feira, 24 de abril de 2012

Libertar!

Liberdade.
Só isso.


Não quero amarras, pessoas, relações, nada que faça com que eu me sinta presa e claustrofóbica.
Se eu me sentir sufocada, vou sair correndo sem avisar nem olhar para trás!
Posso não voar, mas não vou aceitar ninguém cortando minhas asas.


Afinal, que águia foi nasceu para viver em um galinheiro?

Por MARIA, L.P.

Nenhum comentário:

Postar um comentário