terça-feira, 1 de março de 2011

Motociclistas não poderão mais transitar entre os carros?

Projeto quer dar fim ao zigue-zague de motos no trânsito - 27/02/2011 diariodecanoas.com.br
Caso a ideia seja aprovada, motociclistas não poderão mais transitar entre os carros.


Projeto quer dar fim ao zigue-zague de motos no trânsito - 27/02/2011 diariodecanoas.com.br
Caso a ideia seja aprovada, motociclistas não poderão mais transitar entre os carros.


Motocicletas fazendo zigue-zague entre carros é uma cena muito comum nas estradas brasileiras. E um motivo extra de preocupação para quem dirige veículos maiores – medo de se envolver em um acidente, receio de perder um espelho ou ficar com a lataria do carro arranhada, entre outros transtornos. Mas essa liberdade que muitos motociclistas usufruem pode estar com os dias contados.
Tramita na Câmara Federal (em uma velocidade bem inferior a de qualquer veículo de duas rodas, é verdade), o projeto de lei 2.650. De autoria do então deputado Marcelo Guimarães Filho, a iniciativa pretende proibir motocicletas e assemelhados de circular entre carros ou entre o meio fio e os veículos. Quem desobedecer à regra será multado por cometer infração média e vai ganhar quatro pontos na carteira de habilitação. A proposta foi colocada em pauta em 2003. Na prática, fará valer o artigo 56, que propunha justamente esse tipo de proibição ao motociclista, mas acabou sendo vetado da versão final do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) pelo presidente Fernando Henrique Cardoso, em 1997.



Agora vou dar a minha opinião, como motoqueira solitária.

O fato é que isso não vai dar certo. Esta lei esta fadada ao fracasso. Por motivos muito óbvios, no meu conceito.

Em 2008 foi instituída a obrigatoriedade do selo do INMETRO – Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industria – nos capacetes.






Resolução Contran nº 203, de 29 de setembro de 2006.

Disciplina o uso de capacete para condutor e passageiro de motocicleta, motoneta, ciclomotor, triciclo motorizados e quadriciclo motorizado, e dá outras providências.



Os motociclistas conscientes aderiram, mesmo que isso demandasse um alto custo de manutenção (trocar capacetes, em alguns casos vários, como na minha casa). Na lei entrou em vigor e multou os infratores, além de enriquecer as empresas fabricantes, que venderam uma quantidade absurda de capacetes.



Mas o motociclista goza de uma fama muito ruim, em conseqüência da atitudes de alguns irresponsáveis, e também pelos motoboys, que na maioria das vezes dispõem de pouco tempo, precisando arriscar a vida para executar o seu trabalho.

Entretanto, esse novo projeto de lei não prevê a violência sofrida pelos motociclistas no trânsito – só visualiza o automóvel que perde um retrovisor. Se cada moto que está no trânsito ocupar o seu espaço correto, sinto em avisá-los, não haverá espaço para os carros – ou para as nossas motos.

Eu não tenho o costume de ‘costurar’ o trânsito, até porque perdi muitos amigos por irresponsabilidade, mas em meio a via parada, o motociclista não pode ocupar o espaço de um carro, pois se o faz os motoristas (que reclamam de nós) nos fecham para ocupar o nosso espaço. Os ônibus então, nem se fala! Colocam por cima e nem pensam duas vezes... digo isso pois pego a BR166 todos os dias de ônibus e vejo o que os motoristas fazem!

A minha família tem moto há mais de vinte anos, e eu me criei na garupa do meu pai. Aprendi a dirigir aos quatorze anos, na minha rua, com meu irmão. Mas só peguei estrada, depois de ter a habilitação. Não tenho nenhum tipo de infração. Dirijo na cidade, nas rodovias, em qualquer lugar, sem problemas.

Pra mim, dirigir é um prazer imenso. É indescritível o sentimento de liberdade que tu tens ao dirigir uma moto.

Mas os motociclistas em geral sofrem grandes preconceitos, por causa de alguns. Ninguém respeita a moto no trânsito. Agora querem punir e retalhar o que o próprio condutor de automóvel obriga o motociclista a fazer? Confesso que ainda não consegui entender o intuito desta lei, se é apenas punir e arrancar dinheiro do motociclista (huum, novidade??!) ou se é fazer o trânsito das grandes metrópoles parar de vez.

Salve-se quem puder!



Por MARIA,L.P.

Nenhum comentário:

Postar um comentário