quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

O Jornal e eu...

Em fins de novembro/inicio de dezembro fiz um trabalho para a cadeira de Américas: imperialismo e globalização sobre a América no Jornal.
Para o trabalho, fiz análise de dois jornais, um o Jornal do Brasil Digital e outro o Jornal NH, que tenho assinatura.

Discutíamos com a professora Heloisa Reichel, e tive dificuldades em aceitar, mas agora entendo bem. Passei alguns tempo divagando sobre a imparcialidade dos meios de comunicação, e de como eu acreditava que isso era possível. A Reichel podou minhas asinhas e disse que imparcialidade não existe (afinal, ela pesquisa em jornal). Mas tirei a prova essa semana.

Escrevi o texto “Minhas revoltas, e espero que não sejam só minhas” e enviei para o jornal, na coluna Opinião. Levou dias para ter uma resposta, mas enfim na segunda feira (dia 03 de janeiro) me responderam, pedindo dados e dizendo que o texto foi para análise. Contudo, hoje (05 de janeiro) tive outra resposta do jornal, mas da Coluna Interativo.
Mas agora vejam a imparcialidade do jornal:


Boa tarde Letícia, tudo bem?

Estou entrando em contato contigo a respeito de um artigo que enviaste à nossa coluna de opinião. Infelizmente, os nossos espaços já estão comprometidos com os colunistas fixos. O único que temos mais livre já está com vários artigos para serem publicados. O que posso sugerir é que você passe uma das reclamações como interativo, mas são textos curtinhos, que encaminharemos à Prefeitura e publicaremos na seção interativo. Pode enviar uma em uma semana e na outra a próxima que vamos encaminhando...
Se tiver qualquer dúvida é só entrar em contato, ok?

Att

E como moça muito delicada que sou, respondi o seguinte:

Boa tarde,

É uma pena que uma coluna denominada 'opinião' seja uma coluna fechada, com colunistas fixos. Até porque não é necessariamente isso que diz no jornal, não é mesmo?

Meu texto diferentemente do que propõe o interativo, não busca simples reclamações, as quais bem sei que a prefeitura não da a mínima (sei porque já trabalhei pela prefeitura e conheço muito bem a sua metodologia), meu texto traz uma manifestação de revolta e repúdio aquilo que a nossa comunidade hamburguense está acostumada, e ainda assim permanece calada.

Estranho essa resposta, visto que a resposta que tive anterioremente,´pediu os meus dados pessoais e dizia que meu texto iria para análise. Se o texto não pode ser publicado, o que se faz com os meus dados?
Agradeço a resposta, visto que eu já nem mais a estava esperando, mas não estou implorando migalhas. O jornal deixa claro que as opiniões são de responsabilidade dos autores, e não pode se comprometer com outros textos, mas essa resposta me parece que não é exatamente essa a posição do jornal...
Mas tudo bem, talvez eu mande uma reclamação do jornal, sobre a coluna Opinião para o interativo.

Grata pela atenção,



O fato, é que “opinião” só conta a do editor. Claro, como todo mundo, estou careca de saber que a opinião das “massas” não conta. Mas estou cansada se ser feita de idiota.
Pra mim chega.
Não querem publicar, tudo bem. Mas calada eu não vou ficar, não mesmo!


Por MARIA,L.P.

Um comentário: