quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

O que Deus uniu, o homem não separa?


Aqui me ponho a pensar


O que Deus uniu o homem não separa...


Será?


Sábado, foi o casamento do meu irmão, e antes disso já vinha discutindo com algumas pessoas, casar-se ou não, eis a questão! A cerimônia foi linda, emocionante. A festa, animadíssima, mas acompanhei de perto o que esse dois passaram até a hora do Sim! Mas somente o correrio, o stress e as coisas que eles ouviram antes do grande dia, já me bastariam para mudar de idéia (e guardar a grana investida).


De uma bela e colorida amizade, surge um namoro, brota de repente um noivado, acontecem inúmeras coisas e partem para morar juntos. O que pra mim, parece ser o mais difícil, tu passar a dividir a tua vida com alguém... pois no namoro, por mais que brotem crises, cada um vai pro seu lado e fica tudo bem. Quando tu divide o teu espaço, a coisa muda. Um dia ouvi dizer que dividir a cama é fácil, dividir os sonhos é o difícil.... e eu concordo plenamente. Ter alguém do teu lado, para curtir o que de bom tu podes oferecer é fácil, muito fácil (tem de sobra por ai), mas alguém que faça planos e tenha sonhos (não como os nossos, mas) junto com a gente é difícil. É difícil encontrar alguém disposto a dividir mais que uma cama, mas uma vida. Viver sozinho é fácil, mas dividir a tua própria existência com o outro, pra mim é algo extraordinário.


Ao conversar com uma amiga, recentemente comentávamos como tanta gente casou, foi morar junto, amasiou, essas coisas... E fizemos uma (vã) tentativa de nos colocar no lugar do outro. E como foi difícil. As vezes acho tão difícil a convivência comigo mesma, então conviver com o outro seria impossível. Comentavamos também sobre idade. Quantas gurias que brincavam de boneca com a gente, hoje são esposas e mães... exemplares ou não, as são! E isso me assusta, pois penso ainda ter tanto a viver e usufruir da minha juventude e liberdade... acredito ter vivido pouco ainda, para abrir mão de tudo e constituir uma família.


Mas existem caminhos e caminhos!


Pois ao fazer essa reflexão com quem abriu mão de tudo para ter um lar e uma família (por opção e consciência), há também um outro ponto de vista. Pois quem escolhe outro caminho e está certo disso, não sente falta das festas, das viagens, da noite, pois tem coisas mais preciosas presetes em seu cotidiano. Existe um(a) companheiro (a) nas noites boas, e nas noites que se chega cansado e chateado do traalho. Existe alguém que vai às festas, dança a noite inteira contigo e ao final, te acompanha até em casa, aproveita o que há de bom e acorda do teu lado. De bom ou de mau humor, está todos os dias no mesmo lugar... do teu lado.


Sinceramente, creio que o meu medo maior é a estabilidade proporcionada por um relacionamente desse nível. Estar sozinho é simples, é fácil, tranquilo. Mas ter alguém sempre do teu lado é assustador! Uma segurança misteriosa relacional desconhecida é tão poética e romântica que não parece ser de verdade.


Mas pode ser. Ou não. Tudo depende das nossas escolhas.


Mas se Deus uniu, o homem não separa... Eu assim espero.







É por isso que me considero toscamente romântica.

Romances e contos de fadas são verídicos, nos livros e filmes.

Espero que minha vida ainda vire um livro. O menos trágico possível, eu espero!


Por Letícia Maria
MARIA, L.P.

Nenhum comentário:

Postar um comentário